quinta-feira, 27 de maio de 2010

do laranja

era o céu da tarde.
a cabeça na janela, a mente de janela aberta. alerta!

foi-se longe no tempo... longe perdida.
quanta juventude perdida...

voltou laranja da tarde - laranja que arde!
laranja com fome de tempo,
grande por dentro. fome de juventude!
sonho de plenitude.

farei meu lar onde o céu encontra o mar,
viverei de azul...
ah!, e de laranja - laranja jovem.

as cores do novo tempo

(sem ponto final)

3 comentários:

jude disse...

e no nosso arco-íris de sensações, nos projetamos... nos desenhamos com cores, as que são frutos do tempo.

bem lindo!

inexistente disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
dezminutosdeidade disse...

cores são sempre muito bem-vindas.
(: