quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

novo mundo

Às vezes, parar pra pensar é a porta aberta pra angústia - doença da modernidade...
Pensava eu sobre os amigos e sobre os acessos. Sobre os caminho, as ida e as vindas. Concluo, então, que o mundo moderno cada vez mais engole os laços.
Perdoem-me os internautas assíduos, mas me alimento dos abraços. Os laços que crio são reais! e cabe a observação: sentimentos não cruzam cabos USB's.
Lembro da minha infância, lembra-te da tua? No porta-à-porta se fazia o dia-a-dia... Os amigos eram vizinhos, o convívio dispensava o mundo digital. Dominava o reino real dos laços fortes e dos abraços. Ah, os abraços...
Não se pode quantificar o quanto se transmite em um abraço. É maior que ler as descrições dos sentimentos. É maior que ver as imagens que cruzam cabos, mares, antenas e satélites! Dispensa todo esse arsenal tecnológico. É natural, necessário e REAL!
E para os transeuntes desse mundo tenho a saudade. Esta que tenta nos consumir, mas não se engane: nós a consumimos moderadamente rápido. Então temos a falta do que já não é mais essencial...

Aproxima do cômodo, distancia do essencial. É isso que nos faz o mundo digital.
E o novo mundo físico? Ah, esse nos empele ao mundo digital por ânsia social! Esse engole os laços e as pessoas dia após dia. Esse me faz sentir cada vez mais estático e faz dos sentimentos algo sempre mais volátil. Eu sou daqui, sou real, dê-me um abraço e entre para o meu mundo.

___________________
de quem sente e não esquece. de que tem saudade dos transeuntes. de quem ama, cuida e abraça.

3 comentários:

any. disse...

boas horas de conversas guardadas no histórico do msn, mas e os abraços? aquela parte que não cabe num cd...
isso é o que vale...
digo que, hoje em dia, não mais o virtual se confunde com o real, mas o contrário.
os limites estão cada vez menos claros...

enfim,
simples,
no ponto,
verdadeiro... por isso, dói!

lindo : **********

Priscila Martins disse...

Ai Dão. Quero caber logo logo nos teus braços. Não há nada que me tranquilize mais do que saber que os tenho por perto, mesmo quando estou longe e tudo se torna ainda mais especial na hora da volta.
Amo teus escritos!
=*

Lilianne Mirian' disse...

Infeliz Realidade, Real.
Sinto falta de todos os abraços.
Das caras eBocaas que não se ve pela tela do PC.
Idéias e Livros Trocados.

é. saudadee

:*